Grupos são saídas para sulanqueiros em meio à crise. Afirma João da feira

Uma das atividades mais importantes da economia de Caruaru e região, a Feira da Sulanca serve de sustento para milhares de famílias. Com as medidas de isolamento social implementadas devido à pandemia, os sulanqueiros estão apelando para a criatividade, à procura de caminhos para escapar da crise. Neste cenário, a tecnologia tem sido uma aliada.

Exemplo disso é o comerciante João Carlos Silva, o popular João da Feira, de 29 anos. “Assim que a Feira da Sulanca foi suspensa por tempo indeterminado, me vi na obrigação de encontrar soluções para diminuir o impacto da crise. Aí surgiu a ideia de criar um grupo com vários fornecedores e compradores de várias regiões do Brasil”, narra João da Feira.

Ele conta que, em menos de um mês, teve que começar outro grupo por um aplicativo de celular, por causa do sucesso das vendas e da interação com o público. Nos grupos, comerciantes e compradores interagem sobre as peças e realizam as vendas com segurança, sem estarem expostos ao contágio da doença. “Os sulanqueiros querem um plano de retomada da feira. Enquanto isso, os que se interessarem em participar dos grupos e buscar saídas, podem entrar em contato diretamente comigo pelo número (81) 9.8910-6198


 

Postar um comentário

0 Comentários