Doguinha comemora a retomada da feira da sulanca de Caruaru

Meses sem a disponibilidade de ganhar o pão de cada dia nessa pandemia do coronavírus. 

O jovem Doguinha, morador e pequeno empreendedor do bairro São João da Escócia, no ramo de confecções, relembrou os tempos difíceis a qual sua família passou. 

Pai de dois filhos sendo um deles portador de autismo, o jovem sentiu na pele as dificuldades do dia a dia, durante a pandemia da Covid-19 em Caruaru.  "Nossa classe de sulanqueiros foi uma das que mais sofreram, mas, tivemos que se reinventar nas mídias sociais onde conseguimos vender um pouco". Concluiu Doguinha.  

 

Postar um comentário

0 Comentários